20141226_141817aaaaaWEBa Crónicas, Family Coaching

Ano novo, vida nova (cheia de amor!)


O que eu gostava para 2015 era de ser capaz de ajudar os meus filhos a crescerem no AMOR

Resolvi lançar um desafio à Madalena: escrever a crónica deste mês “a meias” comigo. “Qual é o tema?” Perguntou-me. “2015. O novo ano. As coisas boas e os desejos que se pedem. Os planos que se fazem.”, respondi. Ela aceitou o desafio e eu fiquei contente.
Sandra – Eu gosto do ano novo. E tu?
Madalena – Claro. O ano novo representa uma nova hipótese de redimirmos as nossas falhas.
Sandra – Sabes o que aprecio nesta altura? A oportunidade de revisitar o ano que está a chegar ao fim, recordar as coisas boas que ele me trouxe (acho que naturalmente não penso no que foi menos bom). Esta é também a altura de formular os desejos para o ano que vai começar. Lembras-te que houve anos em que cada um de nós escreveu num papel o que gostava que acontecesse e que depois afixámos numa parede? Ir à Disney, ir para o futebol, viajar… Com o passar dos tempos, fui aprendendo a sonhar mas também a pensar no que quero mesmo concretizar (que depende de mim e que por isso é mais provável que eu alcance). É um tempo de esperança. E tu, também fazes planos? Tens sonhos? O que paira na tua cabeça nesta altura do ano? Como achas que os pais podem ajudar os filhos a viver o ano novo com alegria e esperança?
Madalena – Claro que também tenho planos e sonhos. Acho que todos temos. Os sonhos fazem-nos crescer. Transportam-nos para outro mundo. Nesta altura do ano penso em tudo. Nas notas que tive, nas vezes em que fiz algo menos bem. Nas vezes que ajudei os outros e nas vezes que neguei ajuda. Penso nas coisas que fiz mal, mas também nas que fiz bem. Os pais têm um papel importante na vida dos filhos. Educam-nos, querem o melhor para eles e dão-lhes o melhor que podem. Quando algo corre menos bem tentamos sempre manter a esperança que vai melhorar. Os pais ajudam a manter essa esperança. Eles são como um barco que suporta os filhos.
Sandra – Um barco cheio de amor diria eu. Isso era o que eu gostaria mesmo para 2015 – AMOR. Ser capaz de vos ajudar a crescer no amor. Amarem-se, em primeiro lugar, a vocês próprios. Amarem os que vos rodeiam, tal como eles são. Amarem (e respeitarem) a natureza. Amarem a vida… O que achas? Vamos a isso?
Madalena – Sobre o amor poderia dizer um milhão de coisas. Sim, aceito o desafio.
Um excelente 2015!